Você Conhece a Neve da Montanha

Esta semana estive visitando o Parque do Guacuri em Itupeva (25/05/2020) em companhia da Denise que administra o Parque. E ela me apresentou uma planta linda que se chama "Neve da Montanha", Euphorbia leucocephala é o nome científico da planta conhecida como Neve da Montanha, pertencente à família Euphorbiaceae. Ela tem outros nomes populares: cabeça branca, leiteiro-branco, cabeleira-de-velho, flor-de-criança, chuva-de-prata.

Planta herbácea perene, decídua, semilenhosa e lactescente. Como é muito ramificada, pode crescer até 3,0 m de altura.
As folhas são ovais estreitas, apresentando conjuntos ao redor dos nós.

Suas flores são brancas de pétalas pequenas, no formato de estrela, cada uma acompanhada de uma bráctea branca, reunidas em inflorescência grande e densa.

O florescimento ocorre do outono até o inverno.
Sendo que, pode ser cultivada em quase todo o território nacional, mas nos Estados do Sul poderá apresentar susceptibilidade ao frio abaixo de 10 0C em dias sucessivos.

Cultivo e como plantar a neve-da-montanha ou cabeleira-de-velho

Adequada às temperaturas amenas ou tropicais, esta planta aprecia locais com muito sol, solo bem adubado e água regular, mas não abundante.

Para plantar, abrir uma cova maior que o torrão, reservando os 10 cm de terra da superfície num recipiente.
Em seguida, juntar composto orgânico quanto seja necessário com adubo de aves cerca de 150 g por muda, mais 100 g de adubo granulado NPK formulação 10-10-10 e 100 g de farinha de ossos calcinada.

Misturar bem e colocar parte no fundo descompactado, acomodar o torrão e preencher as laterais com a mistura.
E, finalmente, a terra do fundo do buraco ficará por cima.

Em época de calor derramar um balde com água no buraco antes de plantar.
Após o plantio regar bem.

Em épocas de chuvas as regas deverão ser espaçadas.
Entretanto, no verão ou no período de estiagem, regar todos os dias com cerca de 1,0 litro de água para plantas pequenas, acrescentado maior quantidade para plantas adultas.

As regas deverão ser feitas na projeção da copa onde há maior quantidade de raízes para absorção.

Esta planta aceita poda, embora com pouca retirada de ramos, caso contrário diminuirá a quantidade de flores.

A época da poda poderá ser feita no início da primavera, após o término do florescimento.

Quando podar, cuidar para que fique com o formato arredondado, característico das mudas sem poda.
Retirando os ramos inferiores poderá desenvolver pequena arvoreta, quando então possibilitará um efeito paisagístico espetacular.

Adubação da Euphorbia leucocephala

A reposição de nutrientes deverá ser feita na primavera, estação onde irá apresentar maior crescimento.

Para isto, proceda da seguinte forma:
Colocar granulado NPK, da formulação 4-14-08, cerca de 100 g/ muda, misturada a um pouco de composto orgânico.
Faça um pequeno valo no chão ao redor da copa, coloque ali a mistura e depois regue. Caso esteja dentro de um gramado, levante partes de leivas ao redor, coloque o adubo misturado, regue e reponha a leiva.

Mudas e propagação da neve-da-montanha

A propagação da neve-da-montanha é feita por estaquia, aproveitando assim, as estacas oriundas da poda.

Para isto, mergulhe a ponta das estacas em enraizador do tipo AIA (ácido indol-acético) ou AIB (ácido indol-butírico), deixando de um dia para o outro.
Logo apos, enterrar as estacas em areia úmida em local protegido do sol e da chuva.

Notará que emitira novas folhas quando já tiver desenvolvido as raízes.
Poderá então transplantar para sacos ou vasos de cultivo para crescer, levando para canteiro posteriormente.

O substrato deste recipiente provisório poderá ser o mesmo usado para plantio, como o explicado acima.

Toxicidade

É uma planta tóxica, como todas da família Euphorbiaceae.
Isso significa que o contato com a pele poderá causar irritação.

Quando manusear ou cortar ramos usar luvas impermeáveis, como as de látex que se usa na limpeza da casa.
Uma outra dica é usar blusa de mangas, pois se roçar nas estacas ou folhas rasgadas sentirá ardência e queimadura nos braços.

Evitar o cultivo desta planta se tiver em casa crianças ou pessoas idosas que possam cair sobre ela.
Cães e gatos costumam evitar plantas tóxicas, mas se tiver algum animalzinho que aprecie “ajudar” na jardinagem, convém tomar cuidado.

A ingestão de folhas e flores poderá ser fatal.
Também deverá ser evitado seu cultivo em condomínios, principalmente em áreas de jogos infantis.

Paisagismo e uso decorativo


O paisagismo com esta planta tem efeito surpreendente quando está florida, pois as inflorescências brancas são luminosas e chamativas.

Poderá ser usada como cultivo solteiro sobre gramados ou em conjunto com plantas mais coloridas, como crótons (Codieum variegatum)acalifas (Acaliphawilkesiana) e loropétalo  ou hamamélis (Loropetalum chinense).

 

Maiores informações sobre o Parque do Guacuri (11) 4593 2001

 

 

Compartilhar:

Comentários

  1. Elis Salles

    Jundiaí-SP

    ORGANIZAR É CONVIDAR O ESSENCIAL PARA ENTRAR. É através do nosso propósito que encontramos soluções e sentimento de realização.

Deixe seu Comentário

Refúgios no Interior de SP

"Viajar é fazer escolhas!"

Nós seguimos mudando. Às vezes com uma frequência assustadora, mas sempre com um aprendizado a carregar. Se você tivesse todo o dinheiro que necessita e todo o tempo que sonha agora mesmo, para onde viajaria?

Encontre o Seu Refúgio

Tão importante como viajar é o processo de programar a sua viagem! Escolha onde ficar, onde visitar e onde comer no REFÚGIOS NO INTERIOR